O Dakar 2021 é apresentado, e vêm logo à cabeça as memórias da edição anterior. A edição 2020, ficará para sempre na memória de muitos portugueses. Desde os que são amantes do automobilismo, passando pelos muitos motards, acabando no simples português que seguia a prova. Paulo Gonçalves, um dos pilotos portugueses presente na prova, perdeu a vida na edição deste ano, a 12 de Janeiro de 2020.

Na apresentação da prova Dakar 2021, foram apresentadas uma série de medidas com o objectivo de evitar acidentes como o que vitimou o piloto português.

Um traçado totalmente novo

O próximo Rali Dakar 2021 será disputado entre o dia 1 e o dia 15 de Janeiro, sendo que terá início e fim em Jeddah, junto ao Mar Vermelho, na Arábia Saudita. Os primeiros dois dias serão reservados para as operações de verificação das viaturas e documentação de todos os participantes, sendo que a prova arranca no dia 3 de Janeiro. Seguem-se uma série de etapas consecutivas, sendo que a dia 9, a prova fará a tradicional pausa de 24h, prosseguindo de seguida até dia 15.

O facto de a prova começar e acabar no mesmo ponto é, segundo David Castera – director da prova – a melhor forma de facilitar a logística para os organizadores da prova, assim como para todos os participantes.

Apesar de ainda não se ter revelado o traçado (só se irá conhecer a meio de Novembro), ficou a promessa de que não se irá repetir nem um metro do percurso da edição anterior.

Nesta nova edição do Dakar, existe também uma outra novidade. Estreada na edição 2020, mas apenas em metade das provas, o Roadbook passará agora a ser distribuído sempre 10 minutos antes da prova começar. Significa que agora, os pilotos têm apenas 10 minutos para estudar o percurso e escolher qual a melhor estratégia possível para atacar a etapa.

Segurança, lembrando acidentes como o de Paulo Gonçalves

Dakar 2021 - motos

Como uma espécie de herença, deixada por Paulo Gonçalves, esta edição Dakar 2021 irá contar com novas medidas de segurança. E a maior parte das medidas, é exactamente para proteger os motards, que na edição passada tiveram algumas mortes.

A primeira medida, passa a ser a obrigatoriedade de todos os motards passarem a vestir um colete insuflável, que funcionará como airbag em caso de queda. Na prática, o colete enche-se instantaneamente de ar em caso de queda, protegendo assim o corpo do motard.

Para além disso, todas as zonas que são consideradas perigosas, para além de estarem assinaladas no road-book dos pilotos, irão também ser assinaladas com sinais sonoros 200 metros antes.

Mas as novas regras não se ficam por aqui. Com a certeza de que a competitividade pode vir a aumentar o número de acidentes, esta nova edição contará com zonas limitadas a 90km/h, sendo que para além disso os pilotos terão que gerir melhor o desgaste dos pneus. De agora em diante, apenas será permitida a utilização de 6 pneus na roda traseira, sendo que a troca por furo está contabilizada nesse número. Com esta medida, David Castera espera que os pilotos tenham mais cuidado no desgaste dos pneus, permitindo assim que circulem a velocidades mais reduzidas, reduzindo também os riscos de morte.

Dakar 2021 com espaço para todos

Tal como na edição anterior, Dakar 2021 terá espaço para todos os tipos de motorização. Para veículos que sejam anteriores a 2000, ou seja clássicos, a organização tem uma prova paralela onde a classificação não será da mesma maneira. Aparentemente, e sem certezas ainda em relação a este assunto, a classificação será feita de acordo com a regularidade do participante, em vez de ser pelo tempo de conclusão da etapa. Algo que terá que ser percebido com mais detalhe mais à frente.

No entanto, havendo espaço para o passado, também há espaço para o futuro. Neste caso, o espaço para motorizações eléctricas e híbridas está garantido, exactamente como aconteceu na versão deste ano, em que participaram duas motas, um buggy e um camião híbridos. Em relação a totalmente eléctricos, já em anos anteriores se tinha feito sentir a presença de um buggy.

O que é certo é que este é um Dakar com uma série de alterações de segurança e, também, pronto para mudar mentalidades. Eléctricos e híbridos, prontos para desafiar a prova de automobilismo mais dura do mundo?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

5 × 4 =